terça-feira, 4 de maio de 2010

Educação para os médicos

Faz algum tempo que venho pensando nisso, na necessidade urgente de se educar médicos quanto a convivência de grávidas e animais, pois tenho ouvido há muito tempo a mesma ladainha, gravidez confirmada e lá vem o deus todo poderoso do médico mandar a mulher se desfazer de seus animais, me pergunto se eles realmente sabem como se transmite toxoplasmose, a grande vilã, posso estar falando a maior besteira do mundo, mas após uma simples pesquisa no goolge e em conversas com veterinários se descobre como realmente essa doença se transmite, mas acho que os tais "deuses" nunca leram essa parte nos livros, esquecem de dizer que a chance de contaminação é muito maior por alimentos mal preparados e mal higienizados, acham muito mais fácil abandonar uma vida a própria sorte.
Hoje tive uma conversa com algumas colegas da faculdade sobre isso, a criatura ignorante sobre o assunto, se recusa a aprender, ai já passa para a categoria burrice, porque ignorar algo todos nós fazemos, mas se recusar a aprender ai é demais pra minha cabeça, meus deuses, eu odeio burrice.
A pessoa em questão quando eu falei como se dá essa transmissão, disse "eu prefiro não arriscar", em outras palavras prefere por o animal pra rua mesmo; ontem outro colega me disse que quer doar a piti bull dele, pois a mulher não a quer mais, motivo? eles têm um bebê, olha eu até posso entender, porque eu não teria um piti bull, pelo potencial que ele apresenta e ainda mais em apartamento, meu questionamento é quando ele adquiriu esse animal, ele não sabia que eles teriam filhos, que a mulher não gosta de animais? E pior, como ele mesmo me disse, quando são pequenos tudo é ótimo, ele imaginou que o cachorro ia ficar filhote pra vida toda?
Tô muito de saco cheio de gente burra viu, o espécie que deveria desaparecer da face da terra.
E defendo uma campanha educativa urgente para a classe médica, para que eles parem de incentivar o abandono de animais.
E vocês, que pensam sobre isso?


Beijos e boa semana!

4 comentários:

Claudia disse...

Na primeira consulta com o pediatra da minha filha, falei que tinha 2 gatos e perguntei o que ele achava disso.
Pra minha sorte e dos felinos, ele disse não haver nenhum problema.
Minha filha foi tratada a vida inteira com homeopatia, é muito saudável, tem renite alérgia mas de fundo emocional (quando está muito estressada, época de prova, mil atividades)e os gatos aparecem em todas as fotos em que ela era bebe.
Mesmo que o médico falasse pra darmos os gatos, eu não faria.
Eles fazem parte de muitos momentos felizes meus e da minha família.

Acho que tem que ser pra já essa campanha!
bjs

Toquinha do Artesanato disse...

Olha, se eu ficasse grávida e o médico falasse que teria que me dispor dos gatos, iria em outro médico.
Meus gatos são minha vida!

rose de cássia disse...

É um misto de ignorância com insensibilidade. Algumas pessoas não tem um pingo de respeito com os animais, são adeptos da descartabilidade. Deu trabalho, cresceu, arranhou um móvel, rua...sem a menor culpa ou arrependimento. Ou seja, o ser humano me decepciona a cada dia. Quanto mais convivo com gente, mas amo os animais.
Um grande abraço,
Rose de Cássia

Gisa disse...

Quando casei já tinha gatos e cachorros. Fiquei grávida e sequer perguntei ao meu médico sobre a questão; acho que isso se deu porque durante toda a minha vida sempre convivi com animais e nunca os vi como fator de risco. É muito triste que profissionais da área da saúde que, em tese, deveriam saber melhor do que ninguém que a possibilidade de animais transmitirem doenças a humanos são mínimas, mostrem tanta ignorancia. Soube há poucos dias, de uma protetora, que havia doado uma cachorrinha, que a dona queria devolvê-la pois o bichinho estava com um probleminha de pele e o médico, visto que a senhora estava com câncer recomendou-lhe que se desfizesse do animal, pois as defesas dela estavam baixas!!! Achei linda uma reportagem que assisti no ano passado, sobre uma menina que superou um câncer exatamente com a ajuda e o amor de uma cãozinho e que, felizmente, tinha um médico esclarecido.
Sabemos que, especialmente para as pessoas mais humildes e desinformadas, médicos são seres infalíveis, portanto, concordo plenamente contigo que eles devem ser os primeiros a serem educados, para que não transmitam informações erradas e provoquem o abandono de muitos bichinhos inocentes. Beijos